Um álbum interessante, apesar de não muito inovador nem original, mas que irá decerto capturar os ouvidos dos seguidores de Haben & Cia.. Beyond the Black “Hørizøns”

Editora: Napalm Records
Data de lançamento: 19.06.2020
Género: power/symphonic/alternative metal
Nota: 3/5

Um álbum interessante, apesar de não muito inovador nem original, mas que irá decerto capturar os ouvidos dos seguidores de Haben & Cia..

Volvidos seis anos após a sua fundação, os Beyond the Black deixaram de ser uma banda ‘experimental’ de power/symphonic para se tornarem numa referência da indústria, sobretudo para os grupos etários mais jovens. “Hørizøns” é o quarto esforço discográfico do quinteto liderado por Jennifer Haben. A marca definida por Haben e os restantes iniciou-se sobretudo com “Lost in Forever”, tendo-se mantido no lançamento de 2018, apesar da saída da formação original em 2016. Desde então, os Beyond the Black têm sido os pupilos queridos do power metal alemão e este quarto longa-duração irá prorrogar esse estatuto por mais algum tempo.

O estilo melódico e harmónico de Haben mantém-se neste disco, prolongando um género por eles tão bem acarinhado. “Horizons” é uma faixa poderosa, mas atmosférica, que liga o timbre harmónico e orquestral de Jennifer Haben com um arranjo musical intenso. Uma abertura forte é sempre bem-vinda, sobretudo num álbum dos Beyond the Black, que acabam por manter constante a vertente power metal da sua música, tal como pode ser ouvido nos temas “Golden Pariahs” e “Misery”. Mas um álbum do quinteto alemão nunca seria real se não tivesse a componente mais emotiva como se pode ouvir em “Human” e “Wounded Healer”, esta última que conta com Elize Ryd dos Amaranthe. O que pode ser defeito também pode ser uma qualidade, sobretudo numa banda tão jovem como esta. O estilo e os arranjos musicais, bem como o conceito geral, vão-se mantendo sem nunca haver grandes picos nem depressões.

“Out of the Ashes”, “You’re Not Alone” e “I Won’t Surrender” representam igualmente a capacidade melódica e emotiva. A vertente harmónica e catchy é obrigatória nos lançamentos do grupo alemão, tendo o problema de não atrair fãs mais antigos e acérrimos do power metal clássico e, muitas vezes, com tendências heavy. No entanto, este é um power metal moderno criado por muitos mas também por Beyond the Black que souberam captar um novo público para o género. É um álbum interessante, apesar de não muito inovador nem original, mas que irá decerto capturar os ouvidos dos seguidores de Haben & Cia..