Iron Maiden, Anthrax e Green Day estão entre os discos que a estrela da WWE, Baron Corbin, possui com mais carinho. Baron Corbin (WWE): 10 discos que mudaram a minha vida

Iron Maiden, Anthrax e Green Day estão entre os discos que a estrela da WWE, Baron Corbin, possui com mais carinho.

Baron Corbin

-/-

O primeiro álbum que comprei foi…
Green Day – Kerplunk (Lookout, 1991)

«Lembro-me de comprar uma cassete de Green Day quando estava na terceira ou quarta classe. Eu tinha um Walkman amarelo e gastei aquela cassete! Não sei por que é que fiquei a gostar de Green Day, talvez um amigo me tenha sugerido.»

-/-

O melhor artwork é…
Iron Maiden – The Number of the Beast (EMI, 1982)

«Ao crescer, foram sempre os Iron Maiden que tiveram o artwork mais fixe. Sempre achei que as cenas deles eram do caraças. Quando comecei a ficar mais velho, voltei a aumentar a minha colecção de vinis e agora tenho três discos de Maiden – “Killers”, “The Number of the Beast” e “Death on the Road”.»

-/-

Um jovem pergunta o que é metal, dou uma cópia de…
Anthrax – Among the Living (Megaforce, 1987)

«Oh pá, dou logo o estilo da velha-guarda com Anthrax. Sinto que “Among the Living” seria incrível. Ou talvez Slayer, “Reign In Blood”. Tens de os mandar logo para o fogo e depois deixá-los encontrar o seu caminho, sabes? Se quiseres dar-lhes algo novo, dá-lhes o último álbum de Gojira.»

-/-

O álbum que me faz exceder o limite de velocidade é…
Lamb of God – Sacrament (Epic, 2006)

«Oh, qualquer tipo de metal põe-me maluco. A minha raiva na estrada passa dos limites. Pões Lamb of God e damos 190 [km/h] na estrada! [risos]»

-/-

Ninguém vai acreditar que tenho uma cópia de…
Phil Collins – Face Value (Virgin, 1981)

«Tenho alguns engraçados na minha colecção! Às vezes, vou à loja de discos e apanho aqueles sacos em que recebes 10 álbuns por $15 e não fazes ideia do que estás a receber. Acho que, definitivamente, tenho Phil Collins por lá.»

-/-

O álbum que gostaria de ter feito é…
Rage Against the Machine – Rage Against the Machine (Epic, 1992)

«Queria ser guitarrista. Quando vês os grandes guitarristas ao longo dos anos, eles divertem-se tanto. Stevie Ray Vaughan, Munky dso Korn, Tom Morello dos Rage Against the Machine… Não sei cantar, mas se pudesse fazer uma guitarra berrar como esses gajos, seria incrível.»

-/-

O álbum que tocaria no meu funeral é…
Bones Owens – Make Me No King (independente, 2017)

«Definitivamente, tenho de escolher Bones Owens (…). Adoro música folk que tenha uma onda sombria – música que me faz querer um cigarro e uísque e relaxar. É um tal ir por uma estrada negra.»

-/-

O melhor álbum para treinar é…
Nothing More – Nothing More (Eleven Seven, 2014)

«No ginásio, estava a ouvir o último álbum de Nothing More. Ao vivo também são fenomenais – ficam malucos. Quando vês gajos dos anos 80 e 90, quando estavam em palco, era como se estivessem em transe, completamente fora. Quando vês o gajo de Nothing More, ele chega lá. Deixa tudo em palco.»

-/-

O álbum que me recorda a escola é…
Marilyn Manson – Antichrist Superstar (Interscope, 1996)

«Pá, quando ouço “The Beautiful People”, regresso logo à altura em que estava a entrar no meu ‘estado rebelde’ no sétimo ano. Essa música leva-me de volta para aí. Na verdade, gostei do “The Pale Emperor”. Tenho um golpe chamado Deep Six que vem de uma música desse álbum.»

-/-

O primeiro álbum que tocou ao fazer sexo é…
Orgy – Candyass (Warner, 1998)

Isto vai ser mau! [risos] Lembram-se de Orgy? Foi com uma das primeiras miúdas com quem namorei, uma rapariga gótica, e ela adorava Orgy, por isso lembro-me. Eu disse que seria mau!»

-/-

-/-

Consultar artigo original em inglês.