Power metal com incursões à electrónica e a outros estilos cada vez menos estranhos ao metal é aquilo a que se propõem os franceses... Asylum Pyre: rota de colisão

Género: progressive / power metal
Origem: França
Último lançamento: “N°4” (2019)
Editora: M & O Music
Links: Facebook | Doweet
Entrevista: Joel Costa | Review: Diogo Ferreira

Power metal com incursões à electrónica e a outros estilos cada vez menos estranhos ao metal é aquilo a que se propõem os franceses Asylum Pyre.

«Os fãs de metal melódico em geral vão encontrar algo de interessante neste novo disco.»

O que esperar: «Podem esperar um álbum de metal composto por refrãos catchy, um som poderoso e tradicional na bateria, baixo e guitarras, e uma pitada subtil de elementos electrónicos.»

Conceito: «Neste quarto disco demos continuidade à exploração do nosso conceito geral, que começou com o primeiro álbum. Honestamente, gostaríamos de poder abordar outras coisas mas infelizmente é esta a realidade do nosso mundo. O nosso planeta está a morrer e todas as formas de vida estão condenadas se a raça humana continuar com esta loucura. Somos a resistência; lutamos para prevenir esta rota de colisão e queremos contar com todos vocês para travar esta batalha necessária.»

Power metal: «É uma influência que ainda está presente na nossa sonoridade mas é agora mais ampla. Insistimos em apresentar vozes melódicas e refrãos catchy. Somos uma banda de metal pelo que as guitarras e o som geral é importante, mas gostamos de acrescentar outros elementos que não vêm necessariamente do metal tradicional. Estamos a trilhar o nosso próprio caminho mas posso dizer que os fãs de metal melódico em geral vão encontrar algo de interessante neste novo disco.»

Review: O que imediatamente é evidente ao ouvir-se esta banda francesa assenta nos refrãos cativantes de faixas como “One Day”. Depois há uma combinação de heavy metal com algumas nuances pop, o que se relaciona directamente com a primeira frase desta análise, sendo que expressões como ‘energia excitante’ deverão ser as melhores maneiras de descrever este grupo fundado em 2003 e que conta com quatro discos na discografia.