Nove anos depois do primeiro álbum, os Arise In Stability lançam finalmente o segundo longa-duração "Dose Again". Do Japão, o quinteto oferece-nos deathcore e... Arise In Stability: da loucura à iluminação

Origem: Japão
Género: deathcore / metalcore / prog
Último lançamento: “Dose Again” (2020)
Editora: Last Fort Records
Links: Facebook | Bandcamp
Entrevista e review: Diogo Ferreira

Nove anos depois do primeiro álbum, os Arise In Stability lançam finalmente o segundo longa-duração “Dose Again”. Do Japão, o quinteto oferece-nos deathcore e prog metal de grande qualidade, sempre com um teor nipónico pelo meio.

«Os nossos objectivos passam por produzir um excelente som pesado.»

Último lançamento: «Após nove anos, finalmente lançámos o segundo álbum “Dose Again” em Março de 2020. Desde o primeiro álbum, vivemos várias mudanças de membros, mas agora temos a formação insuperável. Os nossos objectivos passam por produzir um excelente som pesado, gravar a peça perfeita e intransigente, confinar a única e progressiva música pesada ao álbum. As pessoas podem escolher “Dose Again” se se cansarem de música pesada semelhante.»

Conceitos: «Um dos conceitos de “Dose Again” é ‘ficção’, referido no livro “Sapiens: A Brief History of Humankind”, de Yuval Noah Harari. “Atyanta”, a última música deste álbum, expressa a perspectiva histórica baseada em “Sapiens”. Mas as nossas letras, que são a projecção do pensamento do nosso vocalista Hosuke, contêm vários conceitos, noções e ideias – assim, a ‘ficção’ e as letras deste álbum não estão numa correspondência individual. Há muito espaço para interpretação.»

Evolução e influências: «Achamos que o nosso som tornou-se não apenas mais técnico e complexo, mas também mais fácil de ouvir desde o nosso primeiro álbum. Somos influenciados por Dream Theater, Meshuggah, King Crimson, Tool, Between the Buried and Me, Cynic, Misery Signals, Not2belikesomeone, Firefly, Community Trust, Siam Shade.»

Review: Do Japão só costumam chegar coisa boas (e estranhas), e os Arise In Stability fazem parte desse grupo de novidades excitantes. Temas como “Madness Gives Rise to Enlightenment” são um furacão de metalcore musculado e técnico. Rápidos e certeiros, músicas como a atrás referida são ricas em leads frenéticos, riffs pesados e vozes graves que se conseguem transformar em melodia naquelas pontes mais amigáveis tão características do metalcore. Deathcore é outro elemento que se pode encontrar na sonoridade destes nipónicos.