Nos poucos anos em que fez parte dos Metallica, Cliff Burton construiu uma reputação como um dos maiores baixistas do metal. 16 curiosidades sobre Cliff Burton

Nos poucos anos em que fez parte dos Metallica, Cliff Burton construiu uma reputação como um dos maiores baixistas do metal. Nascido a 10 de Fevereiro de 1962, foi uma espécie de anomalia na cena thrash metal. O modesto músico usava calças à boca de sino, enquanto os seus contemporâneos preferiam calças pretas e justas, e fazia solos como se fosse o guitarrista principal – basta ouvir a sua frenética apresentação instrumental em “(Anesthesia) Pulling Teeth” do álbum de estreia da banda, “Kill ‘Em All”.

Cliff morreu num acidente de viação perto de Ljungby, Suécia, a 27 de Setembro de 1986, com a tragicamente jovem idade de 24 anos. Mas mesmo que tenha desaparecido, a sua música e a sua memória permanecem. Eis 16 curiosidades que podes não saber sobre a lenda em calças à boca de sino…

-/-

1) Como o frontman dos Metallica – James Hetfield –, o primeiro instrumento musical que Cliff aprendeu a tocar foi piano. Teve aulas desde os seis anos.

2) Só começou a tocar baixo aos 13 anos, após a morte do seu irmão mais velho Scott. De acordo com os seus pais, Burton disse que seria o melhor baixista pelo seu irmão e praticava até seis horas por dia – mesmo depois de entrar nos Metallica em 1982.

3) Tinha Geddy Lee, Geezer Butler, Lemmy, Stanley Clarke e Phil Lynott como inspirações. «O Lemmy teve influência devido à maneira como usa a distorção», revelou Cliff.

4) Embora o seu amor pelo southern rock seja bem documentado, Burton também era um grande fã de R.E.M., Peter Gabriel, Yes e The Police. Também gostava de música clássica, especialmente Bach, que se transmitiu nas suas contribuições em Metallica.

5) Quando trabalhava num aluguer de equipamentos, o apelido de Burton era Cowboy, porque usava sempre um chapéu de palha.

6) A primeira banda de Burton chamava-se EZ-Street, em homenagem a um bar de strip. Os colegas de banda Mike Bordin e Jim Martin seriam futuros membros de Faith No More. «Na verdade, era muito ridículo», disse Burton. «Fizemos muitas covers, apenas merda da fraca.»

7) Enquanto Burton estava na banda, os EZ-Street terminaram em quarto lugar no concurso local Battle of the Bands. Foi em 1979, quando o alinhamento de três músicas da banda incluía uma cover de “Rebel Rebel” de Bowie.

8) Burton estava nos Trauma antes de entrar em Metallica. Uma das músicas que gravaram com ele, “Such A Shame”, está na compilação “Metal Massacre 2”.

9) Burton surgiu com o título do álbum de estreia dos Metallica. Originalmente chamar-se-ia “Metal Up Your Ass”, com uma capa a mostrar uma faca a sair de uma sanita – mas as distribuidoras de discos acharam que isso poderia prejudicar as hipóteses de terem espaço nas lojas. Como resposta, Burton disse: «Just kill ‘em all, man!»

10) A intro de “Damage, Inc.” foi escrita e interpretada por Burton. «São cerca de 8 ou 12 faixas de baixo, muitas harmonias, vários volumes, efeitos e outras coisas», explicou.

11) Cliff teve outros nove créditos de gravação em Metallica: “Anesthesia (Pulling Teeth)”, “Fight Fire with Fire”, “Ride the Lightning”, “For whom the Bell Tolls”, “Fade to Black”, “Creeping Death”, “The Call of Ktulu”, “Master of Puppets” e “Orion”. Foi postumamente creditado por “To Live Is to Die” do álbum “…and Justice for All”.

12) No início de 1986, Burton revelou qual era a sua música de destaque no terceiro álbum “Master of Puppets”. «A minha música favorita é a “Master”», disse a Harald Oimoen numa rara entrevista. «Acho que é a melhor música dos Metallica até agora. As letras estão a ficar muito melhores.»

13) A última actuação de Burton foi na Solnahallen Arena de Estocolmo, Suécia, a 26 de Setembro de 1986. A banda estaria a caminho da sala Saga, em Copenhaga, no dia seguinte.

14) Em 2013, a marca de guitarras Aria lançou o baixo Aria Pro II Cliff Burton Signature. O seu pai, Ray, disse: «Que belo instrumento e uma homenagem maravilhosa ao Cliff.»

15) James Hetfield costuma usar um anel de prata com uma caveira que pertenceu originalmente a Cliff. Foi comprado na The Great Frog em Londres.

16) Uma lápide foi colocada por fãs perto do local do acidente em Dörarp, Suécia. Foi paga através de doações de fãs e tem inscrito a letra de “To Live Is to Die” – «Cannot the kingdom of salvation take me home» –, que aparece em “… and Justice for All” de 1988. Uma placa também está colocada no terreno da Marshall Elementary School, localizada em Castro Valley, Califórnia. Diz “Thank you for your beautiful music”.

Consultar artigo original em inglês.