Homem de poucas palavras, o mentor de Voodoo Kungfu só quer saber da sua música e de mais nada. "Celestial Burial" é o álbum... Voodo Kungfu: determinação unilateral

Género: folk metal
Origem: China / EUA
Último lançamento: “Celestial Burial” (2019)
Editora: independente
Links: Facebook
Entrevista e review: Diogo Ferreira

Homem de poucas palavras, o mentor de Voodoo Kungfu só quer saber da sua música e de mais nada. “Celestial Burial” é o álbum que está a promover.

«A minha música está a tornar-se mais pesada, mais negra, mais melódica, mas menos metálica.»

“Celestial Burial”: «De 1997 até ao presente são 22 anos em que não tenho editora, agência, agente, patrocinador, patrocínio e colegas de banda. Portanto, não tenho metas para este álbum. Não me importo com o que as pessoas pensam sobre este álbum. Não me importo com dinheiro. Faço o que quero.»

Sonoridade: «A minha música está a tornar-se mais pesada, mais negra, mais melódica, mas menos metálica. Quando comecei a banda (ou projecto solo) há 22 anos, queria combinar música tradicional chinesa e heavy metal ocidental. E acho que fiz um bom trabalho.»

Influências: «Não sei, porque não ouço nenhuma música há quase cinco anos. Só produzo a minha música. No entanto, há algumas bandas e músicos que me influenciaram muito, como Rage Against The Machine, Rammstein, Hans Zimmer, antes de deixar de ouvir música.»

Review: Com origem na China, mas actualmente com sede nos EUA, estes 零壹 (Voodoo Kungfu) podem não ser das bandas asiáticas mais faladas, mas deviam! Misturando a cultura chinesa (seja musical ou histórica) com sonoridades mais ocidentais, Li Nan faz originar uma amálgama de sentidos que tanto nos incita ao headbanging como nos faz imaginar cenas épicas de filmes de época tão bem feitos no seu país-natal, como se pode testemunhar no vídeo para “Mongol”.

Outras publicações: