Com o novo álbum “A Stone Engraved In Red”, os portugueses Ravensire imprimem a si mesmos novas doses de melodia e narrativa, mas o... As escolhas de Nuno (Ravensire): The Lord Weird Slough Feg e Brocas Helm

Com o novo álbum “A Stone Engraved In Red”, os portugueses Ravensire imprimem a si mesmos novas doses de melodia e narrativa, mas o que mais salta à atenção são os riffs cavalgantes que ficaram eternizados em temas como “The Trooper”, dos Iron Maiden. Todavia, sabemos que heavy metal não é só Maiden, por isso, Nuno (guitarra) detalha as suas influências junto da Metal Hammer Portugal e dos seus leitores e leitoras.

Foto: cortesia da Sure Shot Worx

«Temos influências de muitas bandas, tanto do passado como do presente. Aliás, até me arrisco a dizer que ouço mais bandas contemporâneas do que antigas. É claro que Iron Maiden, Judas Priest, Manowar, Manilla Road ou Omen hão-de estar sempre comigo; afinal de contas, já lá vão mais de 30 anos a ouvi-las. Mas também há muita coisa boa a sair hoje em dia, e é quase criminoso como o interesse em bandas novas muitas vezes é uma fracção ínfima do interesse no que quer que seja que venha dos 1980s. Tendo estado activo nessa época enquanto fã e consumidor de música, posso dizer que, embora fossem tempos muito entusiasmantes (sermos todos jovens também ajudava, claro), os de hoje não ficam nada atrás! Há tanta variedade e qualidade como antigamente, senão mais! Muito se fala de que hoje só se copia o passado, mas antigamente já era assim. [risos] Por cada Iron Maiden ou Judas Priest ou Metallica que saía, tinhas 500 clones a lançar demo-tapes um ano depois. E se na altura isto não era um problema, porque é que hoje é? Para além das referências óbvias que já mencionei, diria que há duas outras bandas que têm um grande impacto na minha maneira de escrever música. São elas: The Lord Weird Slough Feg e Brocas Helm. A primeira vez que as ouvi fiquei completamente baralhado das ideias. Eram tão diferentes de tudo o resto e, ao mesmo tempo, 100% heavy metal! Embora existam já há muitíssimo tempo, continuaram sempre activas e mantiveram-se sempre debaixo do radar. São das bandas mais refrescantes em termos sonoros e mais criminosamente ignoradas da história! Só o primeiro mini-álbum de The Lord Weird Slough Feg tem lá riffs cavalgantes (misturados com influências celtas) suficientes para encher discografias inteiras!»

Os The Lord Weird Slough Feg Down são norte-americanos e fundaram-se em 1990. Em 2005 mudaram o nome para apenas Slough Feg, nomenclatura que durou até 2019. “New Organon” é o título do novo álbum, com lançamento a 14 de Junho de 2019 pela Cruz del Sur. “Down Among the Deadmen”, de 2000, é considerada a obra-prima pelos reviewers do Metal Archives com uns estonteantes 99% em cinco críticas, seguindo-se outras apostas como “Hardworlder” (2007) e “Traveller” (2003).

Também dos EUA, do Estado da Califórnia, os Brocas Helm apareceram em 1982 com bastante actividade nessa década, mas que baixou de intensidade nos 20 anos seguintes. “Defender of the Crown”, de 2004, é o terceiro e mais recente disco de originais. “Demonstration of Might” é a compilação lançada em 2012.

“A Stone Engraved In Red” é o título do novo álbum dos Ravensire com lançamento a 14 de Junho de 2019 pela Cruz del Sur.

Outras publicações: